{{'2017-12-14'| date:'longDate'}} 9 passos para motivar a si mesmo!

foto

Aprender a motivar a si mesmo é fundamental para alcançar as metas propostas. Só quando existe a verdadeira motivação nosso esforço aparece para conseguir aquilo que tanto desejamos. É graças à chama da paixão que esse objetivo é atingido. A disciplina e a perseverança são fatores muito importantes. No entanto, eles só conseguem ser obtidos no cumprimento do dever. É verdade que esse dever às vezes se realiza de uma maneira ótima, porém a motivação é o que dá o toque mágico a tudo isso. É esse “extra”, essa força a mais, que não serve somente para cumprir com os propósitos, mas também para realizar os sonhos. No entanto, nenhuma meta é fácil de ser alcançada. Por isso é tão importante aprender a motivar a si mesmo. A constância, uma virtude indispensável para perseverar em momentos difíceis, é o fruto da motivação. Felizmente, obter a motivação está ao alcance de todas as pessoas. Nas próximas linhas revelaremos nove passos para qualquer um conseguir motivar a si mesmo. 1. Visualizar um objetivo A primeira lição para aprender a motivar a si mesmo é saber que a realidade pode ter uma grande influência no alcance de um objetivo. Os objetivos e as metas são passos intermediários. Em outras palavras, não existe a necessidade de atingir um objetivo específico, mas definir a razão que nos impulsiona a alcançá-lo. A partir desse ponto de vista, o seu objetivo pode ser, por exemplo, conhecer outro país. Porém, o objetivo motivador é descobrir quais são as suas habilidades reais quando você está sozinho em um contexto desconhecido. Inclusive, a razão poderia ir além. Talvez, neste exemplo, o objetivo verdadeiro seria vencer a barreira de um medo. Ou pode ser também ampliar as fronteiras do pensamento e desfazer preconceitos. Então, quando a razão de ser de um comportamento é profunda, a motivação se torna mais consistente. É impossível aprender a motivar a si mesmo se antes você não aprender a identificar as fortes causas que incentivam a ação. 2. Pensar no futuro de uma forma inspiradora O que acontecerá no futuro deve ser visto a partir da inspiração e da paixão. O futuro tem que estar aí, como um ímã que atrai outras coisas. Criar uma visão poderosa de tudo aquilo que desejamos alcançar é a melhor motivação para lutar pelos sonhos. É importante se projetar constantemente no futuro. Como estarei no próximo mês? Daqui a um ano? Em cinco anos? O essencial é alimentar essas visualizações com expectativas positivas. Permitir-se sonhar. Deixar de lado o medo do fracasso. Enxergar-se como alguém que avança com coragem em direção a um objetivo e que, não importando o caminho, chegará até ele. 3. Alimentar uma paixão, o grande segredo para motivar a si mesmo A paixão é um sentimento extraordinário que nos faz sentir mais vivos e fortes. Uma flor que não nasce em todos os jardins. É impossível viver a paixão quando o medo ou a raiva nos mantêm bloqueados. Essas emoções nos cansam tanto, que não deixam lugar para que cresça a chama da paixão. Ao contrário, nos roubam vitalidade e nos levam à falta de ação. Para conseguir criar esse sentimento, é necessário desfazer os bloqueios que nos mantêm nessa posição. A paixão só nasce nos espíritos livres, e todas as pessoas têm a capacidade de se libertar. 4. Aumentar o alcance dos objetivos É possível e recomendável sonhar alto e aspirar a grandes metas. Só se o objetivo é bastante ousado aparece um desejo suficientemente intenso para atingi-lo. Nós criamos pequenas metas somente quando estamos desanimados ou desmotivados. Existe um exercício que pode ser interessante para aprender a motivar a si mesmo. O primeiro a fazer é escrever o objetivo que se pretende alcançar. Logo, multiplicar o seu tamanho três vezes. Depois, avaliar como se vê o cenário após ampliar essa abrangência. O mais provável é que a mente reaja e diga: “Por que não?” “Nos acostumamos a apreciar aquilo que demanda muito esforço”. 5. Construir o seu próprio caminho É importante compreender que o caminho de cada um é único. Compará-lo com outros caminhos ou inclusive temer o julgamento de outras pessoas não faz sentido porque é uma experiência pessoal, conhecida exclusivamente pelo indivíduo que passa por ela. “Desde o começo nós temos que entender que a única pessoa que devemos superar somos nós mesmos, sendo também esse o nosso único referencial de comparação”. Tanto no momento de definir uma causa, como ao estabelecer objetivos e alimentar o desejo de atingi-los, sempre devemos pensar em termos individuais. Pode ser que existam elementos ou realidades alheias com as quais possamos aprender. No entanto, o caminho ainda está sendo construído e deve ser projetado conforme as necessidades do caminhante, ou seja, o próprio indivíduo. 6. Dar um passo de cada vez Aprender a motivar a si mesmo significa entender a combinação de duas perspectivas: a do aqui e agora, e a do futuro inspirador. Trabalha-se em função das projeções para o futuro. Porém, vive-se em função de avançar no presente. Por isso é importante dar somente um passo de cada vez. Isso é ainda mais valioso nos momentos de dificuldade. Quando existem obstáculos é mais fácil se sentir aflito e perder a fé. Mas, se nos mantivermos no ritmo de dar um passo de cada vez, o foco será muito mais positivo e encorajador. 7. Aprender a controlar o estado emocional Se alguém está deprimido ou ansioso, agirá conforme essas emoções. E, é claro, terá os resultados segundo essas ações. Por esse motivo é tão importante aprender a reconhecer o nosso estado emocional e como trabalhar para conseguir canalizá-lo quando for necessário. Por isso, é conveniente saber que existem três grandes aspectos no que se materializa do nosso estado emocional: - O corpo. Sob uma emoção difícil de expressar, o corpo reage internamente e externamente. Do mesmo jeito, esse sentimento tem que ser controlado em ambas as esferas. Através da respiração conseguimos regularizar os processos fisiológicos. Com a postura e a atitude corporal, reposicionamos o corpo. - A linguagem. Quando existe a depressão ou a ansiedade, aparece um conjunto de expressões que refletem essas emoções. Por exemplo: “não vou conseguir”, “isto é muito difícil” ou “me sinto cansado com tudo”. Ao detectar essas expressões, é necessário transformá-las. Por exemplo: “Uma parte de mim pensa que não vai conseguir, mas eu só não conseguirei se continuar pensando desse jeito”. - O foco. Quando existe um estado de humor negativo, a atenção começa a se centralizar somente nos aspectos negativos da realidade. É aí que a vontade opera e leva esse olhar a uma nova perspectiva com um toque mais positivo e avaliando diferentes alternativas. Além do mais, no caminho para alcançar grandes metas vamos precisar fazer pausas muitas vezes. Estas pausas cumprem com o dever de nos oferecer um intervalo para poder controlar as emoções. O importante é desenvolver a habilidade de identificar os sentimentos que nos bloqueiam e redirecioná-los. 8. Promover o ciclo do sucesso Sabe-se que o ciclo do sucesso sempre funciona da mesma forma. Tudo começa com as crenças. Se uma pessoa acredita nela mesma e em seu objetivo inspirador, tudo fica mais dinâmico. As convicções ou crenças se transformam em ações, que estão caracterizadas pela firmeza e a contundência. O que acontece depois é a conquista de bons resultados. Estes resultados alimentam a fé do indivíduo em si mesmo e o ciclo se renova, mas cada vez se torna mais forte. O contrário também pode acontecer. A crença de que não podemos conseguir algo nos leva a cometer condutas erradas ou à simples falta de ação. Consequentemente, isso leva a resultados muito limitados ou contrários a aquilo que buscamos. Finalmente, tudo isso alimenta a convicção de que não somos capazes. Então, cada um decide qual desses dois ciclos escolher como método. 9. Aproveitar a inércia Depois de iniciar um ciclo de sucesso, atinge-se um ponto onde tudo parece caminhar sozinho. É a inércia. Cada realidade costuma seguir a sua própria dinâmica. Essa inércia pode ser gratificante, porém traz também alguns riscos. Não é o momento de deixar “que tudo caminhe sozinho”. Ao contrário. O que devemos fazer é aproveitar essa inércia para dar mais impulso aos grandes objetivos. Do mesmo jeito, a inércia negativa deve ser combatida com rapidez e coragem. Um problema só atrai mais problemas. Um conflito que se deixa de resolver acaba crescendo e causando mais estragos. Qualquer descuido tem o poder de nos levar à inércia destrutiva. A solução é impor um limite. Inclusive, ao considerar necessário parar para interromper uma dinâmica improdutiva. Motivar a si mesmo é um processo. Não é algo que se consegue de um momento ao outro. Uma vez alcançado, também não é um aprendizado que dura para sempre. É preciso manter a vontade de alimentar a motivação cada dia. Conseguir isso é difícil e perder é bem mais fácil. Especialmente quando estamos programados para não acreditar, não sonhar… Todo esse esforço vale a pena. Uma pessoa motivada é capaz de conseguir qualquer coisa. Os obstáculos internos sempre são os mais difíceis de vencer. E quando a pessoa consegue isso, a vida dela muda. Ela se sente mais viva e dona do seu destino. Ela se sente realmente livre! Fonte: https://amenteemaravilhosa.com.br/9-passos-motivar-a-si-mesmo/


foto por Karen Costa
Engenheira de Alimentos, formada pela Universidade Estadual Paulista - UNESP. Gosta tanto das pessoas quanto gosta dos números. Apaixonada por viagens e por aprender cada dia mais, pois cada momento apresenta uma oportunidade para ser aproveitada. Acredita que a vida é feita de sonhos e vontade para realizá-los.



Comentários...

foto
{{c.nome}} {{c.data| date:'short'}} {{c.conteudo}}


Faça um comentário...

Obrigado, {{contato.nome}}!
Seu comentário foi enviado.




Thank you for registering!

CLICK TO SEE
THE EBOOK



Enter your e-mail to access for free the ebook DA DOR À FELICIDADE

{{errors.newsletterEmail.message}}



Filtrando resultados por: {{config.query}} Nenhum resultado encontrado!

Continue escrevendo para começar a filtrar